27 de set de 2010

Imaginação

O silêncio tem o benefício de aguçar a imaginação

Numa masturbação escura e solitária.

Quarto fechado, olhos fechados,
Sulfite branco cor de escuridão.
Pálido estupor de reticências...

Fecho os olhos em silêncio e me aliso.

Imagino este louvor calado,
Imagino graves, agudos, grávidos grãos de sons enfurecidos
Fecundando-me pelos ouvidos.
Amáveis, malditos, barulhos, centelhas.

Desperto.
Silêncio.
Esperto silêncio!

Corpo fechado, poros fechados, espuma-esperma.
Esquálido estupor de reticências...
Fecho a mente, trinco os dentes,
Avidamente me aliso.

Preciso arrancar o que for preciso
Mesmo que fira as entranhas
- mesmo que precisar do supérfluo seja algo impossível
Unhas, cheiros, preces, pragas.
Úmidas e celestes notas de silêncio e imaginação.

Que a ejaculação seja tórrida, lerda, amarga,
Que grite nota a nota uma pa-la-vra,
Que leve no seu nojo a compaixão,
Que lavre na memória mancha clara,
Que grave na história, escuridão.

Inimaginável masturbação desvairada.
Aliso-me, aliso-me...

Que mais posso tirar de mim?
Que líquidos, que cheiros, que águas?
Cores, perfumes... estátuas?
Tessitura de luzes, poemas de... mágoas?

Eu que jorrei tudo o que então jorrava,
Eu, justo eu, que estava tão intensa-mente-fecunda
E grávida!

Aliso-me, aliso-me...

Que a ejaculação seja ilusória e silenciosamente mágica!
Que arrebente este quarto, este corpo,
Que escape do quadro incolor,
Que seja solitário gozo,
Solitário jogo de esparramar palavras...

Que seja doce, louco, nota, desvairadamente!
Que seja, sobretudo, incrivelmente só e indolor.

Não espero.
Mas quem sabe do silêncio não arranque algum suspiro?

Um comentário:

  1. Voce conhece a Avenida Arari ? Lá tem até escola de Samba.Passe lá e dê uma olhada.Toda vez que vc comenta no meu blog, o pessoal diz que ele fica mais belo.
    Abrass

    ResponderExcluir