29 de jul de 2010

Cansaço

Talvez um abraço resolva
Um que dissolva precipícios
Um abraço que envolva este marasmo

No ar,
um beijo-borboleta tenta alegrar
esta incomensurável e indefinível mãe
- Mãe, você está triste?
- Mamãe, por que você está triste?

Toda tristeza não passa de cansaço.
Talvez um abraço...

E se eu queimar todas as fotografias de meu arquivo particular?
Ninguém há de se importar!
Ninguém há...
Não há ninguém...
Ninguém mais.

E esse cansaço de uma multidão vazia
Esse cansaço de coberta fria
vira tímido sorriso
para um beijo perdido e inocentemente preocupado
lançado no ar
e estalado na pele da alma
desta inefável e infalível mãe.

- Não, é só cansaço...
- É só cansaço, meu filho...

Nenhum comentário:

Postar um comentário