15 de ago de 2010

Pálido menino azul atmosférico

Sorri pra mim tuas peraltices
Brinca com os brancos do algodão
(que nada mais são que nuvens desgarradas...)
Pinta as manchas coloridas e iluminadas
de um lendário arco-íris
Refaz o itinerário dos cometas,
Mostra o interruptor das estrelas,
Chuta pro céu a imensa bola laranja-incandescente
e conta pra mim...
- De onde vem a sede pra tanto-tanto mar?

Se deitar no verde-planície
e dormir um sono-montanha
vai marcar os lençóis com a geografia de teus sonhos...

Se acordar no meio da noite, de repente,
e etérea solidão te assaltar,
sopra beijos-el niños,
rodopia e inventa seres alados que venham te cobrir e te velar...

Pálido menino azul atmosférico...
Homérico momento de sublime satisfação:
- Continua assim, azul e menino,
continua assim, tão único, imensidão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário