3 de mai de 2011

ONDE A VERDADE?





























ONDE A VERDADE?




Entre lustres e ralos,

deslizam venenos

sorvidos em gargalo



A verdade tem asas,

bocas e máscaras

Instala-se fantasma

nas paredes da casa.



Quebra-cabeça de peças esparsas



Na vidraça, uma luz-fumaça

cores estilhaçadas

O vitral de faces variadas

ilumina na medida exata

a vida que escapa.



A verdade pode ser mortalha,

ou uma simples batalha.


Mas é a escolha que atrapalha.




























Nenhum comentário:

Postar um comentário